O Quarto Vaso

06/04/2014 13:02


Havia quatro vasos na casa: três muito bonitos, novos e caros diferente do quarto vaso, pois era humilde e velho. Esse vaso passou de geração em geração, o dono era muito apegado à ele e não guardava flores nele como nos outros, mas guardava em si pedras preciosas da família. No fundo os vasos bonitos e que levavam consigo belas flores, invejava aquele humilde vaso, pois sabiam de suas fragilidades e sabiam que eles só tinham valores financeiros, e que poderiam ser vendidos facilmente. Os três vasos invejavam o quarto, pois sabiam também que ele não tinha preço, pois carregava em si confiança e respeito. Aqueles vasos se orgulhavam da sua aparência mas isso era a sua infelicidade, pois em si nada carregava a não ser água... Era a sua infelicidade pois eles sabiam que todos se interessavam só pelo exterior e que ninguém enteressaria pelo seu interior. As flores que eles carregavam morriam com o tempo, mas aquele vaso simples guardava em si riquesas que nunca iriam perecer, pois eram bem guardadas. Até que chegou o dia em que os donos se enjoaram dos três vasos e então foram trocados por mais bonitos, mas o quarto vaso sempre ficou ali: guardando em si riquesas.
A vaidade é passageira, pessoas bonitas e corpos bem definidos nada mais são que objetos que servem pra se olhar e admirar. Sempre podem ser trocados facilmente por outro mais bonito. Por onde os outros te dão valor? Por fora ou por dentro? Se você não cuidar com o que é de dentro, tudo que é bonito por fora fica frágil e se quebra fácil. Conquiste a confiança dos outros para que eles te deem valor! Vaso bonito pode ser vendido fácil pois só tem valores financeiros. Mostre que você não se quebra fácil, chega uma hora em que todo mundo enjoa da beleza exterior, daí pode se trocar de flores, mudar o arranjo, mas mesmo assim todos se cansam... mas daquele vaso humilde ninguém nunca abrirá mão dele. Chega uma hora em que as flores morrem e o vaso é trocado.

Comentários

Mais acessados da semana: