Debaixo da Tempestade

17/05/2014 04:33

A chuva veio nervosa: vento forte, balançando as árvores, chegando a dar medo até. O vento carregava as folhas caídas no chão, o frio começava soprar-me as pernas. Do nada o vento para, mas o tempo está fechado. O sopro volta, mas calmo agora. O som no fundo dá ideia de que nada parou: os carros estão em movimento, as maquinas ainda operam, nada mudou. Ouço pessoas na rua, será que só eu, aqui nesta sala, vejo que vem chuva? Pois ainda há sopro frio, há barulho, há rajadas de vento. Esse sopro me arrepia. Vejo pequenas gotas que esbarram na porta... finalmente a chuva. Me levanto para fechá-la mas acabo me molhando pelas gotas que pingam em mim. A casa toda se fecha pra não entrar água. Agora estou no escuro e uma lâmpada se acende. Ouço um ruído na parede: são as gotas, mais finas agora. A luz se apaga por instantes mas volta. Tudo o que resta é um barulho forte nas portas e janelas e do vento. Agora a chuva se intensifica, aí sim dá medo. Há uma sensação de luto, há falta de voz humana. O vento chega a bater em todas as janelas ao meu redor. Talvez tudo que eu queria era só ouvir o som da água batendo no chão. Parece noite mas ainda é tarde, incrível como a chuva anoitece tanto! Não sei se gosto da chuva pois ainda pouco estava tão quente! Mas sempre que a descrevo faço-o negativamente...

Começo, então, a decifrar o que Deus estava falando comigo nesse tempo todo, vejo a perfeição de Deus em falar com o seu servo. A chuva nada mais é do que a provação, a qual bate forte. O frio e o sopro é o inimigo, tentando me fazer medo dizendo que eu não vou conseguir. O tempo fechado é sinal de que vem prova. Nada muda lá fora pois a prova é individual, só minha. Quando pensei que já estava tudo controlado, veio a chuva de repente, tentei me proteger mas sem querer me molhei... talvez a porta já deveria estar fechada. Percebi que a chuva não poderia me molhar mais pois estava seguro dentro de casa. A escuridão vem sim, mesmo protegido, mas Deus nunca me deixa faltar a luz! Não posso ficar desapercebido debaixo da Mão dEle! Mesmo que haja escuridão (da minha parte até), Ele não desiste de querer olhar pra mim! A aprovação dá medo sim, o barulho é forte, parece que tudo vai acabar porque não vejo vitória tão perto, tudo parece estar difícil ao meu redor, mas eu me lembro que, mesmo que haja um barulho que assusta, há portas firmes, há janelas bem fechadas e parede bem edificada pra me proteger de toda tempestade. Fico muito alegre pois até na aprovação Ele não tira Sua Mão sobre a minha vida, até na prova Ele se faz presente e me oferece abrigo.

Quando estamos em prova, tudo parece ser mais ruim. Mas se você está nessa fase, veja este momento como vencimento do medo, quebra de barreiras, pois a prova nada mais serve do que te preparar pra vitória. Ainda há pouco estávamos tão despreocupados e quietos que ninguém quis sair do seu conforto, mas todos queriam ter a mesma capacidade de um vencedor que passou pela prova.

Comentários

Mais acessados da semana: